quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

dos dias que deslizam como barcos




é tudo muito preciso: só preciso fechar os olhos . o mar calmo, sem ondas, sem quebras. o sal continua a arder os olhos, mas a boca já se acostumou com o gosto. a transparência da água permite ver os pés afundarem suavemente na areia. imagem distorcida assim como os pensamentos. ambos afundam! enquanto os olhos vermelhos vagam pelo horizonte, os pés, cada vez mais, são engolidos. é fim de tarde. ao longe, o resfriar do sol na água morna – sem ondas; os pensamentos também mornos. com o passado pesando sinto meus passos cada dia mais meus. só espero que não encalhem.

6 comentários:

Everson Russo disse...

Se deixar levar pelo balanço da vida...beijos amiga e um belo dia pra ti.

Ana disse...

Este mar...
Onde me perco e me encontro
Companheiro da minha lucidez
e do meu desatino

Este mar...
O meu mar...

Beijinhos

Ana

Eurico disse...

Todo o lirismo d'alma, com os olhos fechados...

Abç fra/terno

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia minha querida amiga toda iluminada.Iluminada sempre nas palavras que leva até meu blog.Agradeço e retribuo
pelos votos de Feliz Natal
com carinho sem igual.
Sempre leio suas mensagens
com muita, muita atenção
pois tudo o que escreve
desperta em mim emoção.
Você é um amiga preciosa
que cuidadosamente vou reter
do lado esquerdo do peito
para jamais o perder.
Neste momento especial
quero também desejar
saúde paz e amor
para sua vida encantar.
Que as festas natalinas tenha te feito mais iluminada ...
bjs com o sabor de restinho de festa !!!!!!!

Solange disse...

mais um ano se inicia...
espero que você o receba de braços abertos!!

bjs.Sol

Dilmar Gomes disse...

Margoh, eis um texto de prosa poética. Pura poesia.
Um abraço. Tenhas uma boa tarde.