domingo, 30 de dezembro de 2012

no ar sobre os antigos oceanos

Photobucket


Não digas o teu nome: 
ele é Esperança
vai até aos que sofrem sozinhos
à margem dos dias
e é a palavra que não escrevem
sobre as quatro paredes do tempo
o admirável silêncio que os defende
ou o sorriso o gesto
a lágrima que deixam nas mãos fiéis

Alexandre O’Neil

.



(...)dois mais dois é sempre o que a gente quiser. há, é claro, grandes pontos de interrogação sempre e, a cada momento em algum lugar, pontos de exclamação se erguem sem mais nem menos.  olhando de longe, porém, o que mais se vê são reticências, muitas vírgulas, uma algaravia de travessões. fica difícil perceber onde termina um capítulo e quando começa outro porque quando se sofre sozinho, é porque se está isolado do mundo e não se sabe como quebrar uma barreira, que nós próprios impusemos e não deixamos derrubar. talvez, porque alguém nos amordaçou, traiu e realmente a esperança é tentar confiar novamente. porque há anjos e pessoas que têm o coração aberto para amar sem condições. ainda bem.
obrigada ^A^ migos!

a  esperança  - por vezes, a única coisa que nos prende à vida -


2013 - que venham corredeiras. prometo manter o prumo -


3 comentários:

✿ chica disse...

Que a esperança nunca nos falte em 2013 e sempre! beijos,tuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuudo de bom,chica

Mari Rehermann disse...

Olá, passando para agradecer a amizade e o carinho neste ano que se acaba, e desejar que 2013 seja um ano repleto de bênçãos e realizações, com muita paz, amor, prosperidade, saúde e alegrias!! Feliz Ano Novo!!

Beijos!!♥

Mari Rehermann disse...

Olá, passando para agradecer a amizade e o carinho neste ano que se acaba, e desejar que 2013 seja um ano repleto de bênçãos e realizações, com muita paz, amor, prosperidade, saúde e alegrias!! Feliz Ano Novo!!

Beijos!!♥