sexta-feira, 15 de março de 2013

O sentido curvilíneo das linhas retas

.





havia orvalhos de fogo no sol
e as sombras caíam como raios no chão
perco-me sempre
nesse avesso de casa
onde o coração é pele
pulo de copa em copa
perco-me de mim sempre que me encontro
é insólito o mundo, são insólitas as gentes
e perdida sou simples como um rabisco infantil




4 comentários:

Rovênia disse...

Que lindo, Margoh... Perdida como um rabisco infantil. Você é muito feliz! É encantada! Um ótimo fim de semana, perdida de você mesma que é o melhor reencontro! :)

melysande disse...

A poesia escorre em suas palavras como mel em uma colmeia.
Quando vai reunir toda essa suavidade em livro? Aguardo ansiosa a primeira de muitas edições.

JP disse...

Olá Margoh,

queria deixar-te um beijo grande pelas palavras lindas que me deixaste.
Os tempos não estão fáceis mas vamos andando. Se quiseres, usa o meu mail que está no meu perfil.

Beijo grande

Milene Lima disse...

Você é a morada preferencial do lirismo... Benza Deus como fala lindeza.

Beijo, maluquetezinha.