quinta-feira, 23 de maio de 2013

Vou com o coração de quem nunca foi











e porque afinal,
somos tão semelhantes,
sendo tão diferentes,
não busco respostas,
não procuro distâncias,
sigo o trilho da cor que adivinho ser
do mesmo medo em todos os olhos
com vestígios de esperança
a lançar dos céus.

















5 comentários:

Severa Cabral(escritora) disse...

Bom dia minha querida !
A reflexão sempre dar espaço para a imaginação...
bjssssssssss

Dilmar Gomes disse...

Amiga Margoh, lindo poema, bela imagem.
Um abraço. Tenhas um lindo dia.

Luciana Souza disse...

Oi Margoh
Vc é simplesmente ótima na escrita, se não venho mais vezes aqui, é por falta de tempo mesmo! Adorei o texto, muito reflexivo!
Bjos.

Rovênia disse...

No fundo, somos todos iguais, os mesmos medos, as mesmas dúvidas e donos de uma força capaz de construir tanta beleza! Só precisamos parar e pensar no que, de fato, importa. O que é tão difícil... Para muitos, nunca será sequer possível porque não conseguem entender, ver, sentir a essência desse mundo. Essência que está bem diante de nós!

Beijinhos!

Jhosy . disse...

Margoh,
e que nessa procura pelo igual/diferente que somos e temos,
nos encontremos todos.

Um grande beijo!
Jhosy