sexta-feira, 16 de agosto de 2013

Nenhuma foto nova












mal fechei a porta e abri o envelope enorme, tirei a folha escura, larga, e a olhei contra a lâmpada, decifrando nos negros e cinzas o que o raio-x achou no meu peito.  nem sinal da voragem, da labareda, da melancolia escancarada e voraz, da minha inquietude. nada a não ser fios cinzentos e mudos, sombras chapadas de carne e de ossos. tudo normal. indeletável  imagem.
prefiro minhas mil palavras.



















10 comentários:

✿ chica disse...

Lindo,Margoh! E estás melhor? beijos,chica

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde Margoh
Detecta-se "doença"?

As melhoras
Beijo e bom fim de semana
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Margoh.. sempre que por aqui passo me deleito nas tuas palavras.. não sei se tens mas deveria pensar em um livro.. tens um talento nato e sempre a abordar as coisas enraizadas em nós.. grato da visita e comentário rsrs olha gostei da dica striptease , nem me passou pela cabeça.. mas é algo muito sensual que dá para tirar bons versos.. tinha outras aqi ainda para fazer.. sobre cabelos, unhas, pés, mãos minissaia, bumbum rsrs mas vou ver o que farei com este striptease acho que vou me basear no filme com este nome daquela atriz famosa.. te desejo um lindo dia bjs

Aleatoriamente disse...

Margoh queridíssima! Que saudades!!!
Amei a casa nova, ela é linda feito teu coração.
Amei o texto! Coisas que mexem com a alma da gente.

amei estar aqui.
Beijos

Maria disse...

Lindo Margoh...mas está tudo bem com a saúde...certo?
Bjs
Maria

Benno disse...

a imagem do interior do peito, ainda que tudo perfeito, deve revelar... muitos segredos. Beijo

Luís Fellipe Alves disse...

Palavras muito bem alocadas, escrita tão linda!

Uma energia positiva bem grande. Melhoras!

Abração.

Rovênia disse...

E você só tem mil palavras? Não seja tão modesta! Podemos ser borboletas. Nascemos rastejando, mas podemos voar. Alguns morrem sem saber disso, não se metamorfoseiam; tornam-se iguais, repetem as mesmas palavras. E há tantas...Não existe radiografia da alma, mas a sua curiosidade foi bonita! Beijos!

Luis Eme disse...

somos todos diferentes e todos iguais.

abraço Margoh

Eva disse...

Lindo, lindo Margoh e a música combinou, bjos minha querida.