quinta-feira, 28 de novembro de 2013

A transcendência em fatos comuns do cotidiano








Depois de ter passado o tempo de ser nocauteada e ter os ossos moídos junto aos sonhos, ela acorda sorrindo e percebe que mudou [tendo a ajuda de Camus falando da experiência de Sísifo que enquanto empurrava sua pedra inútil conseguia olhar para os grãos da rocha com deslumbramento]  Percebe então, que nem toda mudança precisa ser amarga, embora o que nos mova quase sempre seja a dor, esta parceira do imprevisto. Acorda e descobre do lado do avesso um espaço zen, uma espécie de paz interior que a adula e acaricia, como se a mãe voltasse a lhe pegar no colo. Neste dia, inexplicavelmente alegre, decidiu que o melhor a fazer numa manhã assim é plantar um girassol só para ver, dali a um tempo, sem angústia, dilema ou rejeição, que a vida dança a dança dos dervixes [o 'giro', meditação em movimento] e que a nossa entrega à vida é um ritual sem hoje nem amanhã. Sente que a felicidade pode ser o ato de movimentar -se como os girassóis , para lá e para cá, só pra ver onde começa e onde termina o dia sem pressa. Os acontecimentos não (nos) pertencem mais...
















5 comentários:

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.

✿ chica disse...

Adoro passar aqui! Te lendo, aprendemos a escrever. Lindo sempre!beijos,chica

Pedro Coimbra disse...

Sou pouco ligado a fenómenos transcendentais, Margoh.
Dia a dia, com os pés assentes no chão.
BFDS!

Vivi disse...

Aqui relaxo, a tua escrita enche-me a alma.
As tuas palavras de carinho chegam diretamente ao coração. Sinto sempre o teu ombro amigo do teu lado.
Beijinhos grandes

Rovênia disse...

Nossa, posso dormir agora imersa na música e no sentimento traduzido com primor! Lindo demais! Vou dar um jeito e plantar girassóis no meu jardim!