sábado, 23 de novembro de 2013

E o abandono das flores se abrindo...








eu acredito:há muita vida diferente para experimentar.é imprescindível observar além dessas condições que criaram um clima pesado que paira sobre os meus dias. há muita vida diferente para experimentar, eu posso   ir além de tudo [faço disso um mantra]. penso na vida cotidiana, áspera e confusa. nas tantas vezes em que não segurei as pontas de minhas ambiguidades. penso na corrida desenfreada dos projetos humanos. em como os dias tinham um tom de repetição, como se o som dos acontecimentos ocupasse o lugar que a nota anterior deixara livre, numa sinfonia pueril a emendar manhãs, tardes e noites. uma melodia silenciosa que nos enche de vibração e orquestra a coisa toda, até mesmo quando tudo parece perdido.













6 comentários:

✿ chica disse...

Esse mantra faz bem pra todos! Essa cor ficou bem melhor! beijos,chica

Cidália Ferreira disse...

Boa tarde Margoh
Gostei do texto..

Passando para te desejar um bom fim de semana..

Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Ricardo- águialivre disse...

Texto bonito que nos faz pensar o que é sempre salutar

Deixo abraço
Bom fim de semana
******************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Bia Hain disse...

Oi, Margoh! Sentia-me assim esses dias... o dia em que nos rendemos à crença de que a vida é medíocre iniciamos nosso processo de morte interior. Lindo escrito. E acredite.
Um abraço!

José Carlos Sant Anna disse...

Pô, este mantra é maravilhoso, ainda mais casando com os versos de Antônio Maria e Dolores Duran, no título. É perfeito. Só cresce a minha admiração pela tua escrita.
Beijo, Margoh!

Rovênia disse...

Somos um mistério. Quem somos, o que somos capazes de ser? Não envelhecemos, vamos nos rejuvenescendo com o tempo. Por isso, a pele se desgasta! Força, equilíbrio, todos os dias precisamos de um pouco. É a nossa serenidade.