domingo, 26 de janeiro de 2014

na difusão fugaz







Depois de tanto tempo ela  agora percebe o tanto de coisas que é necessário administrar para que teus sonhos e anseios deixem de ser meras imagens abstratas e se aproximem da realidade concreta.  Mas ainda não esquece das sensações quando ele a encontrava rapidamente na hora do intervalo de trabalho. Não sabia do dia inteiro de espera que ela carregava nos olhos. Ele a olhava  como se a visse e se vai. Ela o via antes de olhá-lo e, resignada, ansiosa, se mantinha ávida pelo que ele nem sonhava que poderia  lhe dar. Alimentava os desejos nas pontas dos dedos, exaurida no silêncio de quem apenas consente a vida.




11 comentários:

Rita disse...

Verdade amiga temos que ter os pés no chão e voltar para a realidade
Só assim conseguiremos o que nossos sonhos deseja
Achei lindo esse texto elogios pra vc

Deixo um abraço com carinho de sempre

_______________Rita!!!!

xilre disse...

Nas pontas dos dedos se modelam as faces, os corpos, as viagens. A vida, portanto.

Bia Hain disse...

Oi, Margoh!
Seu escrito me remeteu ao passado, quando o cenário não era o trabalho, mas os corredores da faculdade. Respirava a vida na espera do momento em que os olhos se cruzavam na sala, na entrada ou nos corredores do prédio.
Hoje os corredores são outros, mas o amor, pelo mesmo homem, começa a tornar-se possível.
Um abraço!

Luar disse...

A matar a saudade de escrever, a matar a saudade de te ler.
Tua escrita me eleva sempre os pensamentos. Mil beijos.

Cidália Ferreira disse...

Muito bom!

Bom Domingo

Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Canto da Boca disse...

Nem sempre é fácil fazer o percurso que nos aproxima dos objetivos, dos sonhos... Encontrar esperar, é um exercício de paciência e de dor.

Bonito texto, Margot. Beijo!

;))

José Carlos Sant Anna disse...

Depois do olhar [e do consentimento], na ponta dos dedos o toque mais sutil
para despertar outras sensações...
Beijos, Margoh!

Milene Lima disse...

Que mesmo se deparando com o fato de que sonhar está além de meramente sonhar, ainda assim mantinha acesos a sensibilidade e o desejo.

A propósito, a cortina nova está encantadoramente romântica e leve.

Um beijo.

Leila Silveira disse...

que lindo teu blog.
ilusões doces, são só ilusões mesmo, não passam de fumaça soprada por bocas erradas.
melhor viver uma realidade cheia de poesia verdade, encantos de dentro,
que acreditar em iscas soltas nestes oceanos sem fim da rede.

Rovênia disse...

Temos aqui uma junção multimídia de beleza, delicada demais. Há dentro de você uma alma de rara verdade.

"Segue-se, portanto, que a verdade se manifesta ..." (Benedictus de Spinoza) :)

UIFPW08 disse...

mmm.. linda foto..
Abraco
Morris