quarta-feira, 22 de outubro de 2014

esta manhã não lavei os olhos




0 sol dos sonhos derreteu-lhe as asas
E caiu lá do céu onde voava
Ao rés-do-chão da vida.
A um mar sem ondas onde navegava
A paz rasteira nunca desmentida...

Mas ainda dorida
No seio sedativo da planura,
A alma já lhe pede, impenitente,
A graça urgente
De uma nova aventura.

Miguel Torga
(in Poesia Completa,
vol. II)






[bati na
porta da vida
e disse-lhe:
não tenho medo
de vivê-la]



hoje o dia é só meu! ♕ ♔




8 comentários:

✿ chica disse...

É teu aniversário? Se sim,PARABÉNS! Se não só as felicidades que desejo ficam,rs Bjs da amiga caduca,rs chica

Ricardo- águialivre disse...

Miguel Torga um poeta exemplar

Querendo, visite(m)...

http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/

Deixo Cumprimentos

Cidália Ferreira disse...

Fabuloso poema!!

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Simone Lima disse...

Muito lindo!!
Linda tbm esta imagem *-*

bjoo'o
flores-na-cabeca.blogspot.com

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Lindo poema do Miguel Torga.
Parabéns pelo aniversário!
Beijo*

Edith Lobato disse...

Tua poesia nos conduz a reflexões maravilhosas. Participo de um site só de poetas, deixo o link abaixo, caso desejes registrar-te, será um grã prazer ter-te conosco.
http://encontrodepoetaseamigos.ning.com/main/authorization/signIn?target=http%3A%2F%2Fencontrodepoetaseamigos.ning.com%2F

Arco-Íris de Frida disse...

E a porta se abriu... e vc foi viver a vida... feliz...


Se o dia é so seu...parabens...

Beijos...

Benno disse...

o céu é o elemento do poeta, mas o chão insiste em lhe chamar.
O céu ao poete pede
mas o chão impede
o céu é feito de gás
e o deixa fluir
mas o chão é cheio de pedras.