sexta-feira, 10 de outubro de 2014

quem sonha improvisa





é inevitável mas  o nosso cérebro envelhece com a idade como envelhecem as nossas artérias. sei que tenho a idade das minhas artérias, mas nunca admito que o meu cérebro envelhece no mesmo ritmo. agarro-me com unhas e dentes a esta fantástica capacidade de plasticidade cerebral  embora sinta na pele que há uma ira espalhada pelo mundo, nas palavras, nos gestos. creio ser a ira  o pavio que incendeia o medo, e se é preciso coragem para se ser feliz, então o mundo anda longe disso. uma grande maioria não quer mais correr riscos por que lhes parece muito ousado, muito longe de suas realidades. a cada dia me convenço de que ser feliz não tem nada haver com mudar a vida das pessoas, mas sim, mudar a realidade do seu mundo particular, dos seus pensamentos, das suas lembranças. é como se de repente você mudasse um pouco o foco, acreditando que existe uma possibilidade de se viver as coisas de uma forma melhor. a  tristeza é inerte, enquanto a alegria é dinâmica, é a forma como a vida nos conta de quantas chances nós temos de nos sentir bem.

feliz dia para a tua criança interior, então!




3 comentários:

Arco-Íris de Frida disse...

Feliz todos os dias para quem nao deixa o cerebro envelhecer...

✿ chica disse...

Que lindo e feliz dia pra todas nossas crianças de dentro ou fora...bjs, chica

Edith Lobato disse...

Nossa! Poema altamente reflexivo. Parabéns pela linda abordagem sobre o envelhecer que é real desde o nascimento. Feliz semana.