quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

apenas sob meus pés e pele






Eu disse, à criatura sedenta dentro de mim,
que rio é esse que desejas atravessar?
Não há viajantes na estrada que leva ao rio, e não há estrada.
Vês alguém caminhando junto à margem, ou se abrigando ali?

Não há rio algum, nem barco, nem barqueiro.
Não há corda atada ao barco, nem alguém para puxá-la.
Não há chão, céu, tempo, banco de areia ou vau!

E não há corpo, nem mente!
Acreditas que existe algum lugar capaz de aplacar
a sede da alma?
Nessa grande ausência, nada encontrarás.

Sê forte, então, e penetra teu próprio corpo;
ali tens um lugar sólido para os teus pés.
Pensa nisso com cuidado!
Não te desvies noutra direção!



Kabir diz isto: apenas te desfaz de todo
 pensamento sobre **coisas imaginárias
e te mantém firme sobre aquilo que és.

—–

O poeta místico Kabir viveu na Índia de 1440 a 1518.




**aqui usado no sentido de ilusão



12 comentários:

JP disse...

Depois da folia, o regresso.
Margoh, todos nós temos um rio que gostamos de atravessar. Mas nem todos o conseguimos.

Dentro de nós está, muitas vezes, a solução.

Beijinho

Dilmar Gomes disse...

Amiga Margoh, poema oportuno para uma quarta-feira, pós carnaval. Um pouco de espiritualidade vai ajudar a dissipar as cinzas.
Um abraço. Tenhas um bom dia.

Aurora disse...

Lindo poema, e triste, pelo menos pra mim, que li em um sentido oposto e ligando-o a um acontecimento recente. Mas enfim, parabéns.
Beijos.

umsoprononada.blogspot.com.br

lis disse...

Oi ᄊム尺goん,
... lugares para 'aplacar as dores da alma'_há muitos ,basta olhar em volta e não desviarmos a procura de mais... há de bastar-nos!
muito lindo ,saudade de voltar _ voltei! aos amigos, às prosas , aos poemas!
com abraços

Yasmine Lemos disse...

Hj cinzas , e das cinzas se renasce depois que se descobre a alma.beijo amiga

Milene Lima disse...

Mas, enquanto há sede... Há vida nessa criatura? Isso não é ruim, é?

Beijo, menininha.
Amanhã tudo será melhor.

Ana disse...

Margoh,

Tanta tristeza ??!!!

Beijinho

Ana

Crista disse...

Tem presente para tu,lá no meu cantinho.
Se quéix quéix...se não quéix,não quéix...tu que sabes...rsrsrsrsrsrs...
Mas foi dado de coração.
Beijão enorrrrrrrrrrrrrrrme pra tu...

Chapéu de sol disse...

Sem barco e sem barqueiro, nos resta atravessá-lo a nado.

HS

Sónia M. disse...

Deixei de querer atravessar o rio,
gosto de deixar-me ir ao sabor da corrente...

Beijinho

Poesia Portuguesa disse...

"Acreditas que existe algum lugar capaz de aplacar
a sede da alma?"

Na Poesia!

UIFPW08 disse...

A linha é tênue, mas vc consegue trilhar como ninguém esse limiar. A beleza agradece! :)
Obrigado pe la visita
Morris