segunda-feira, 22 de abril de 2013

O melhor que farás será por acaso...





bem ali  na fronteira
entre o percebido e o anunciado

no correr dos dias
 floresce-nos o coração,
salpicos suaves de vida.
.
.
.

o que se sabe e o que não se sabe
 sobre uma mudança
é o que  se deixa de herança

.
.
.
e na noite todos os fantasmas se erguem,
catedrais que o nevoeiro esconde
.
.
.
na desintegração do medo
o surgimento da antimatéria
.
.
.
 aniquilam-se mutuamente,
 virando pura energia
.
.
.


risos que a saudade torna autênticos

e que brilham na essência..









4 comentários:

melysande disse...

incomparável como sempre.
Poesia deslizando em sonhos...

✿ chica disse...

Lindo sempre,Margoh! beijos,linda semana e tudo de bom,chica

Bia Hain disse...

Lindo, Margoh. Aniquilar o medo e se render ao riso...perfeito para viver suavemente. Um abraço!

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa noite minha querida !!!!!!!!!!!!!!!!!
"...Vamos fazer o melhor que há. Se você quer rodar. Eu vou guiar. Coisa no mundo melhor não há. O melhor da vida é aprender bem mais do que já se sabe..."
Trecho de uma canção !!!!!
bjs