domingo, 21 de abril de 2013

Mas o futuro está sempre mudando....

Tatoo






“Amor, Ordem e Progresso"


Nosso país é o único país que vem com um conselho estampado na sua bandeira.

Quem precisaria de conselho? somente alguém que estivesse perdido, eu creio.

De qualquer forma, conselho se dá a quem age errado.
Pensando longe, desta vez, no nome da nação, vê-se que palavras terminadas em eiro
atribuem a função da pessoa à originalidade dela.
Ou seja: Quem vende pipoca? pipoqueiro. Quem atende à porta? o porteiro. Quem fuma maconha? o maconheiro.
Percebam também como soa estranho o nome “Brasileiro” às outras nacionalidades: francês, inglês, americano, italiano, argentino.

Acontece que quando Portugal chegou ao nosso país, o principal produto de roubo era o Pau-Brasil. Portanto, se quem pratica o jogo do bicho é bicheiro, quem rouba o Pau-Brasil?
Sim, brasileiro. Temos a identidade de quem já nasce como ladrão, já vive em uma nação, onde a política e a polícia não funciona, a justiça muito menos.
Já nascemos rotulados com a etiqueta: Made in Brazil, país de picaretagem, malandragem, Bunda lelê, sacanagem.

Feliz?

Por isso, na bandeira um conselho:
Ordem e Progresso!

Num país que não se vê ordem, quem dirá progresso.

Para que haja progresso, antes a ordem. Para que haja a ordem, antes o Amor.

Essa frase: “ordem e progresso”, é originada da frase:
“Amor por princípio, ordem por meio, progresso por fim”.

Amor, ordem e progresso.

Mas tiraram o amor da bandeira do Brasil.

E assim, incompleto, não há conselho que funcione.

Que volte o amor à bandeira do Brasil.
Se por falta de espaço, que volte o amor à bandeira do Brasil e tire o progresso.

E fique: “Amor e Ordem”.
Progresso?

Progresso por fim… é inevitável que com o amor e a ordem, o progresso venha.

Mas sem amor, esse país continua falho, desumano, imoral.

Um país de verdadeiros ladrões.

Na política, na polícia, na justiça, nas ruas, nas casas, na internet, em todos os lugares.

Quem sabe com Amor este país não melhora, afinal, a ordem não funcionou e o progresso não veio.

Amor!
Vamos colocar o amor na bandeira do Brasil de volta!

Vamos trazer o amor de volta à essa nação!!


Inaiá Correia



(para que  não vire pó no filtro da memória ...aqui )

9 comentários:

JP disse...

Olá Margoh,
Depois de um descansozinho, cá estou de novo.

Tenho descoberto uma coisa nova - não é só o futuro que que vai mudando. Agora também o presente e o passado:)))

Beijinho

✿ chica disse...

Maravilha de texto esse, bem real!!! beijos,lindo domingo!chica

VERINHA TIBURSKI disse...

Olá Margoh
Quem sabe este brasil fica novamente mais humano, como na diretas já, gritamos: "Amor já"
Lindo post, parabéns. Beijos.

Bia Hain disse...

Oi, Margoh! Gostei da força do seu texto que desabafa em palavras verdadeiras sobre o caos em que nossa nação se transformou. O amor é primordial...seus desdobramentos serão naturalmente a ordem e o progresso. Estou contigo! Que volte o amor à bandeira, e às atitudes. Um abraço!

Dorli disse...

Oi Margoh,

Você escreve com uma firmeza de se espantar. Adorei tanto, que tirei uma cópia para guardar e mostrar ao meu filho. Você tem o dom da palavra e as escreve com sabedoria, clareza e foi muito engraçado o seu texto. ri o tempo todo. Eu já sou mais "pega pra capá". Acabei de postar uma desse tipo. Ai!
Quanto aos dezoito ano só tenho uma frase: Infelizmente a vida não tem retrocesso.
Obrigada
Beijos
Lua Singular

Metalurgia das letras disse...

Nas minhas aulas de “OSPB”
Que os anos não trazem mais,
Eu aprendi que a pátria,
São pessoas que falam a mesma língua,
E defendem os mesmos ideais.

Mas os anos se passaram,
E as mudanças foram chegando,
E tão “sonhada liberdade”,
Libertinamente...
Espalhou-se pelas cidades.

“Meu Brasil varonil Terra de samba e de pandeiro”
“Não permita Deus que morra, sem que volte para lá”.
“Minha terra tem palmeiras onde canta o sabia.”
“Dos filhos deste solo és mãe gentil Pátria amada Brasil”

A revolução de 1964, o RPM e sua rádio pirata,
“Que pais é este?”
“Somos todos índios?”
"Ainda estou te esperando na lanterna dos afogados”
Acredito nas “flores vencendo os canhões”
Mesmo depois do massacre na praça da “Paz Celestial”

Pátria é isso!
São todos brasileiros e brasileiras,
Que não deixem a peteca cair.
Que valorizem o seu rincão,
Mas que tragam os pés no chão,
E que não se esqueçam da história,
Para não cometerem os mesmos erros de outrora.

Brasil! Ame-o!
Nunca o deixe
E esta pátria lhe será eternamente gentil.

Margoh, se exagerei delete!

Rovênia disse...

Que bacana! Em 7de setembro sempre aparece um dever de escola sobre pintar ou desenhar a nossa bandeira! Imagine qual será o meu conselho às crianças daqui de casa? Beijos, amiga! Amei o post!

Luciana Souza disse...

Oi Margoh
Simplesmente fantástico esse texto! Adorei! É o que eu penso também. É muito difícil mudar o que está aí, porque já começou errado, desde a colonização!
Bjos.
http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com.br/

Nilson Barcelli disse...

Interessante ponto de vista.
Eu, se mandasse, decretava o amor em todas as bandeiras.
Até nas dos piratas de perna de pau-Brazil... rsrs..
Um beijo, querida amiga.