sexta-feira, 31 de maio de 2013

Sem causar alvoroço nem consequências






o gris do dia me acomoda. Mia Couto me circunda. palavras para se transcender o óbvio. me envolvo. aceito. luto. discordo. tudo se dá de um modo novo, prisma de mil cores. filmes me conquistam. os argentinos, em especial os de Campanella. riso, tragédia e toda sorte de alegrias fluidas. "O Filho da Noiva"  [aqui] vale uma taça de vinho tinto para brindar depois. tudo o que me cerca acende uma luz em mim. dessas que ofuscam e se bastam. não aquelas que piscam.
 tudo é comovente, até meu silêncio dolorido.






8 comentários:

Jorge Leandro Carneiro disse...

A sensibilidade é uma virtude valiosíssima. E subestimada.

Bia Hain disse...

Há dias assim, em que mesmo no silêncio, a sensibilidade se deixa tocar. Conservá-la é primordial. Um abraço!

Evanir disse...

Seu blog é encantador lindamente postado .
Venho do blog de uma amiga em comum
foi um prazer enorme conhecer seu cantinho virtual.
Uma linda noite feliz final de semana beijos ,Evanir.

Aurora disse...

"Até meu silêncio é dolorido."
Pois é, pois é...

Dorli disse...

Oi querida

Às vezes o silêncio é nossa melhor companhia, nos traz boas ou más recordações. Eu prefiro as boas que me faz sentir viva...
Só não gosto da solidão,apesar que para mim é efêmera; traz nostalgias.
Obrigada
Lua Singular

✿ chica disse...

Lino,Margoh! Já de volta, coração feliz mas apertadinho pela despedida há pouco, beijos,chica

Rovênia disse...

Na lista para assistir! Pela sua sinopse, pelo trailer, vale uma boa taça de vinho! Obrigada pela dica! E bom domingo, querida Margoh!

UIFPW08 disse...

Oi, Margoh. O coração sempre tem a melhor resposta quando damos voz à eles, inclusive através de palavras escritas. Abraco
Morris