sexta-feira, 23 de agosto de 2013

Sigo em frente a troco de vento









e o dia como amanhece? olhos de sonho, frestas, limiares? se expressar é isso, equilibrar olhos alheios sobre uma ponte frágil de tinta negra que avança linha a linha sobre os abismos da folha branca. entre o real e a invenção, está o que vemos, o que nos olha, aquilo que capturamos ou o que nos captura.   ao capturar, aprisionamos, ou, inventando, liberamos?  mas não me olhe assim tão fundo, o que ha é muito raso, muito claro, quase a flor da pele.

um dia aprendo de superficialidade... 


8 comentários:

✿ chica disse...

Melhos reixar à mostra mesmo. Faz bem e é lindo! beijos,chica

Dorli disse...

Oi querida,
Cada um vê a vida com seus olhos. Com os seus olhos a vida é menos complicado.
Obrigada
Beijos
Lua Singular

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá,
A conquista pode ser real ou invenção, ambas são agradáveis.

ag

Yasmine Lemos disse...

A força da escrita é como tatuagem , e ao escrever e perceber atalhos para outras imagens somos meros instrumentos , mensageiros . Beijo

Rovênia disse...

Tem gente que não sabe escrever porque nao sabe ver, nao sabe sentir. Vive no fundo demais! Mas guardam belezas que eu queria roubar para jogar ao mundo!
Bom fim de semana, Margoh!

Crista disse...

Transparência...é tudo de bom!

Samuel Balbinot disse...

Boa noite Margoh.. quando olhamos para alguma coisa aquela coisa olha d volta para nós.. assim como o que esta em cima é igual ao que esta embaixo.. muito bem escrito.. linda noite bjs

Ricardo- águialivre disse...

Bom dia

Filosófico quanto baste...Lindos versos em poesia divina

Bom fim de semana
Abraço
*******************
http://pensamentosedevaneiosdoaguialivre.blogspot.pt/