segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Quase à flor da pele




feito deusa com saia de jade
 nas entrelinhas do mantra
olhando o sol nascer de novo
com sua indiferença clássica
e astronômica
me diz, então
o que fazer com a
chama intensa
e o tempo urgente
que pulsam
na carne
e o exagero
de doçura
e o sabor atordoante
que latejam lá dentro,
que não cabem em si(m)??





7 comentários:

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá,
ᄊム尺goん é uma deusa de chama intensa.
Tudo que escreve é lindo e muito especial.

ag

Cidália Ferreira disse...

Boa noite Margoh
Humm gostei deste "flor da pele"
Sensual...lindo

Beijos
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Dilmar Gomes disse...

Que coisa linda, amiga Margoh, teu poema escrito em um lirismo intimista e sensual, ornamentado com a beleza do vídeo. Post nota 10, aliás, nota mil.
Um abração. Tenhas uma boa noite.

Benno disse...

Me diga então o que fazer da vida
e me responda que viver
e nada mais além
se em cada esquina nua
a oportunidade mora
e sempre se oferece
viver é mais que a vida
vencendo sempre a morte

Rovênia disse...

Então eu digo que a explosão pode,sim, queimar-se na delicadeza. A sensualidade dosada tem seu valor. Lindo, Margoh! :)

✿ chica disse...

Sentimentos expostos!! Lindo! beijos praianos,chica

Fatima disse...

Oi Margoh!

Gostei muito do Flor da Pele! é sensual e delicado.

Um grande abraço