quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

Nos ares certos do tempo...





  e em noite de
lua cheia
ela
delirava
com
o
corpo dele
em pele
depois
 lotada de
 leveza
 visitava seus
      poros












0 meu amor
 é tudo que, 
morrendo,
não morre todo, 
e fica no ar, parado.
Carlos Drummond de Andrade

7 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Lindo!
Gostei

Beijo
Feliz Natal
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Maria disse...

Excelente escolha....!
Beijinhos
Maria

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde Margoh.. o poder que o outro tem sobre nós.. corpos nus se entrelaçam em magia sempre

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá,
Quero agradecer a sua sempre simpática visita ao meu blog e por considerar os meus comentários no seu, obrigado!
Em função das lembranças que relata no seu belo blog: Você é uma mulher feliz.
Um abraço com agradecimento.
ag

✿ chica disse...

Muito lindo,Margoh!! beijos aPROVEITANDO MUITO AQUI! CHICA

Maria Luiza disse...

Em noite de lua cheia, agora eu mergulho nos sonhos, fitando-a. Tento decifrá-los; porém paraliso diante de sua leveza.
Margoh, continue delirante! Beijos!

Liza Leal disse...

Marcante. Fino.
Falando a língua que dá sentido
aos mortais.

Bjo Margoh
E Feliz Natal!..
=)