segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Das corredeiras do dia







É fato. Tantas vezes no dia-a-dia as reticências são evidentes, não é possível oculta-las. Porém, fora do redemoinho o ar é límpido, transparente, e o tumulto do mundo vira melodia. Aproveite o milagre, [res]pire com gosto e caia de volta no fluxo com a alma lavada. Pois, em tudo sinto o teu olhar se desdobrando. Seu afeto é sumo que escorre pelas minhas mãos....





15 comentários:

José Carlos Sant Anna disse...

Ah! Que maravilha! Música para dois pianos desnudos aguardando a suavidade das mãos... sem reticências!
Beijos, Margoh!

Dilmar Gomes disse...

Belo texto melódico, amiga Margoh.
Um abraço. Tenhas uma linda semana.

Maria disse...

Margoh você é única!!!
Gostei muito!
beijinhos
Maria

lis disse...

E é nessas corredeiras que o coração dispara e libera os afetos.
Dos tumultos e das melodias ...realidade ou simples fiapos de sonhos?
margoh, bom estar contigo, de novo.

Verso Aberto disse...

uma delícia de blog
em versos encantadores

abraços do mais novo amigo

pizano

Bia Hain disse...

Viver cercada de doçura traz ao ar que se respira a leveza do algodão doce. Um abraço!

Elisa T. Campos disse...

Seus versos são especiais. Margoh.

Uma linda semana para você.
bjs.

Samuel Balbinot disse...

Bom dia Margoh.. e basta o nosso querer, parar 15 minutos e deixar o silêncio nos tomar já faz muita diferença em nossas vidas.. bjs

G. HANOK disse...

Lindo...! Dizer mais o que...?!
Eu estou com um novo bloguinho(reinodalira.blogspot.com.br) Gostaria de dar uma passadinha por lá...?! Seria uma honra...! Beijos!

leila disse...

Devolvendo a gentileza, te sigo neste delicado blog.
Entro aqui e sinto
a brisa destes versos,
janelas abertas atraem borboletas.
bjos

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde,
versos que encantam e fazem refletir, excelente criação sem reticências.
Abraço
ag

Luar disse...

Que o sumo te sacie, como te ler me enche a alma.
Beijo

Pedro Coimbra disse...

Estes últimos dias foram de descanso.
Agora é que (re)começa a correria.

Cidália Ferreira disse...

Olá margoh

fantástico o teu poema. Adorei

beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Canto da Boca disse...

Desdobrar a alma para ficar com cheiro de lavanda... Foi essa a imagem que o texto fez surgir diante de mim...