segunda-feira, 7 de abril de 2014

Liberdade












tímida
deixou passar
 por entre os dedos
 seus recatos
   e, só
 [por um instante]
     pode contemplar-se
    por inteira.





7 comentários:

✿ chica disse...

Intensidade e beleza juntas! beijos,linda semana,chica

Suzete Brainer disse...

A expressão da liberdade

espelha o todo-Ser...

Um poema num todo de beleza

e leveza.

Uma semana luminosa!

Beijo.

jair machado rodrigues disse...

Querida Rainha Margoh, tão delicado como a areia fina na ampulheta, passando, passando...tão desesperado como grito preso na garganta, um grito por liberdade. Tão delicada tuas palavras, que consigo entender ou ver ou sentir, que por um instante que seja, se permitiu...
ps. Carinho respeito e abraço.

Dorli disse...

Oi Margoh

Linda e suave poesia para se pensar...
Linda como a primavera!
Beijos
Lua Singular

Dilmar Gomes disse...

Amiga Margoh, a Dorli disse, com propriedade, que teu poema é lindo como a primavera, mas também poderíamos acrescentar, que ele tem a beleza de uma tarde de abril.
Um abração. Tenhas uma linda semana.

Cidália Ferreira disse...

Lindoooooooooooooooooo

Beijinhos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Pedro Coimbra disse...

Viva quem vence assim a timidez.
Beijinhos e votos de boa semana