domingo, 13 de julho de 2014

Ah, os olhos. Isso ia ficar pra sempre....





O que vêem os olhos que já não nos olham aqui?
Como brilham? Como sabemos se ainda
sorriem por nos ver?
Lembro-me bem do brilho daqueles olhos miúdos…
escuros e  até de como sorriram, mesmo já tão doentes
 por, melhor que eu, sentirem a realidade quase no final.
Mas nem assim esconderam a esperança…

E eu quis acreditar que as forças chegariam...

Aprendi que a vida deixa de estar nas nossas mãos
quando a jogamos para lá dos nossos limites…
mas que nem assim deixa de nos pertencer.
Lembrarei sempre de ti 'Pai'
assim feliz nesta cidade que tanto amava .
Feliz aniversário atrasado na homenagem mas o
senhor bem sabe o quanto lhe abracei forte em minhas
memorias a 2 dias atrás.
Dê um beijo nesta bochecha rosada da mamãe e diga
que a amo.amo.amo.

0brigada por tudo "Pai"



6 comentários:

✿ chica disse...

Arrepiei!!Que lindo,emocionante! E certamente ele te vê e te sorri de lá! beijos emocionados,chica

Bia Hain disse...

Que texto emocionante e cheio de saudade... a vida nos escapa quando passa desse limite indecifrável. Um abraço!

Pérola disse...

Que palavras comoventes!

Uma homenagem repleta de amor.

Como eu te compreendo!

beijinhos e fica com a certeza de que ele te olha.

Pedro Coimbra disse...

Terminadas as férias, passo para desejar boa semana.

Cidália Ferreira disse...

Bom dia Margoh

Adorei o texto. Lindo!

Votos de uma excelente semana.
Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Solange Duarte disse...

uma homenagem repleta de amor e saudade, aqui imortalizada..

bjs.Sol