sábado, 26 de julho de 2014

(in)vulnerável ao tempo.






afadigou-se por dentro,
sem perceber que
o amanhecer acontecia ao avesso.

-é que tudo o que há nela é muito para fora





5 comentários:

Cidália Ferreira disse...

gostei de ler

Beijinho
http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

✿ chica disse...

Beleza,Margoh!! Estou mesmo aproveitando de montão! Sabes que adooooooro o mar! bjs praianos,chica

Claudinha ੴ disse...

Olá Margoh!
Adorei sua visita, obrigada!
Me encantei com seu espaço, sua sensibilidade nas fotos e com estes primeiros versos seus que leio.
A Força, que ela esteja conosco!
Um beijo!

Claudinha ੴ disse...

Olá Margoh!
Obrigada pela sua visita!
Estou encantada com seu espaço e seu bom gosto com as imagens e palavras escolhidas. Seus versos me tocaram e que a Força esteja conosco.
Eu já tinha comentado e perdi o comentário. Se for duplicado, sinta-se à vontade em deletar.
Beijos, voltarei sempre!

lis disse...

sem pressa e sem fadiga...
até o anoitecer .

beijo