domingo, 17 de agosto de 2014

tornou-se início outra vez....




(..) eram cinco da tarde.  os livros empilhados resumiam uma existência catalogada por palavras que tentava recriar para si. agora a tarde era só tarde, e a noite não parecia apressar-se em chegar. mas sabia que por mais que se adentre, por mais perto que você chegue tudo se desdobra, tudo ramifica. imaginou um corte profundo no céu, e a profundidade lhe escapou. sorriu ao ver que  o que se abre são novas superfícies, frescas e vivas. não há dentro, não há centro, não há fundo. quanto mais se olha, mais os detalhes dão cria, mais a complexidade viceja. a musica que tocava movimentava seus pensamentos. se rasgasse a partitura em mil pedaço  a sinfonia seria a mesma em cada nota então começa a dançar. a sala logo se preencheu de sombras. as cores perderam seu lugar. aproveitou o milagre, respirou com gosto, e caiu de volta no fluxo com a alma lavada....




8 comentários:

✿ chica disse...

Que lindo e tu sempre assim,maravilhosa! bjs, chica e ótimo domingo!

Cidália Ferreira disse...

Sempre, maravilhosa nos teus escritos.

Tem um optimo Domingo
Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Vieira Calado disse...

Hoje venho simplesmente desejar-lhe boas férias!

Suzete Brainer disse...

Quando se voa (sabiamente)assim,

encontra o infinito no "agora"...

Adorei o teu infinito (poético)

do milagre do sentir.

Belíssimo!!

Domingo luminoso e bjos.

Arco-Íris de Frida disse...

A musica, a dança, o ilimitado... sempre nos salva...

Beijos...

Maria Alice Cerqueira disse...

Querida amiga boa noite hoje vim só para lhe desejar uma linda semana para você!
abraço amigo!
Maria Alice

Pedro Coimbra disse...

Uma semana muito feliz.
De alma lavada.

Fabio Fernandes disse...

Olá! A alma lavada é o se deliciar com o "eu". Abraço! ww.gravatacombatom.com.br