sábado, 16 de agosto de 2014

breves instantes em que fechamos os olhos...





(..) na busca do desejo cada dia alguma coisa é acrescentada. deixei de te ouvir cantar,  mas ainda guardo as notas da nossa canção em tons de sol e mi em mim. quentes. os sons escorregam pelo meu cabelo e apanho-os à frente de cada passo que dou. coleciono-os no regaço, na renda do vestido e vejo mensageiros do vento pertinho de ti em cada por do sol.  e silenciosamente no interior do desejo acontece a festa do nosso encontro. ouves a minha alegria? bate as asas, voa-me no sangue e faz ninho no meu riso matinal, onde ainda tudo pode acontecer.  será assim. chegaremos juntos ao lugar de onde se escapam os sentidos. eternamente saciados. eternamente apaziguados. eu paro o tempo para sermos.




4 comentários:

Arco-Íris de Frida disse...

Um amor que para o tempo... se eu fechar os olhos, sera que consigo encontra-lo?

Beijos...

Bia Hain disse...

Já tenho um amor assim, que me faz sorrir só de fechar os olhos e vê-lo aqui dentro, em cada amnhecer, em cada anoitecer... escrito lindo, Margoh, sua inspiração a cada dia se supera. Um abraço!

Thaty Oliveira disse...

Eu também ja tenho um amor assim, muita alegria, muito chamego...

José María Souza Costa disse...


Olá, boa noite.

Mesmo com esta correria do tempo, encontrei tempo, para passar aqui e desejar-te, uma noite maravilhosa de Sexta Feira.
Se quisermos, tudo pode-se, realizar
Abraços