terça-feira, 25 de novembro de 2014

a volta da viagem é quase sempre a melhor parte....






      não estar, de quando em quando, é se refazer pra se render melhor, curar a cicatriz.  é perceber que, quando me preencho do que brota no lado de dentro, me sentirei menos afoita e ansiosa. necessito por demais deste silêncio. aliás, é a única coisa de que realmente preciso. preencher-me de amor.  ouvir o som das águas da vida que caem no silêncio por uns instantes . romper o ar, o espaço e me deixar ir a uma profunda conexão com o que está vivo do lado de dentro pois cada fusão magnética que  se realizam tem seu momento e suas condições certas para ocorrer e  nisso [sabendo que elas acontecerão]  não tentarei forçá-las a tal. muitas vezes me cansei porque tentei forçar a árvore a crescer num ritmo que ela não deve. agora desejo o poema maior que exalo,  no precioso ritmo do teu suspiro.






6 comentários:

✿ chica disse...

Uma viagem interior é o que precisamos e nos faz bem. Delas voltamos melhores! bjs,chica

Anônimo disse...

gosto de saia

Nidja Andrade disse...

É preciso viver a vida intensamente, e saber viver de forma e agradável, aproveitando ao máximo cada momento, com a certeza de que esses momentos, dificilmente, se repetirão.

José Carlos Sant Anna disse...

Mas não o desvende
tampouco deixe-o morrer
este suspiro faz parte
das nossas equivalências...
Beijos,

Cidália Ferreira disse...

Belo texto :-)

Beijos

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

UIFPW08 disse...

Da te è bello volare
Margot