domingo, 21 de fevereiro de 2016

de tanto céu


















num tempo qualquer pra chegar a terra incógnita eu segui astros e lábios, segui sons refletindo a luz da tua iris e soprei de dentro do peito o excesso de terra firme. fora isso, durmo entre parenteses onde os fios das minhas teias tem laço, corda-bamba. sobraram fios de luz, que mantem à flor da pele os rios que me correm fundo e meu coração nas alturas. meus dias, quando muito, têm pausas onde eu respiro....









4 comentários:

Marineide Dan Ribeiro disse...

Gosto como você usa as palavras...É gostoso de ler, e seu blog é um encanto!

Bjusss

Pedro Coimbra disse...

Crónica de uma viagem interior.
Bjs, boa semana

✿ chica disse...

Lindo,Margoh!!! Tua sensibilidade, enorme! bjs, chica

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, seu céu é cativante, fortalece o que é fraco, desejo ser uma estrela cadente.

AG