sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

devolve-me o desejo




















tão fora do eixo dos meus dias
podias ter acendido uma estrela
brilhante, nova, tão nova

fecho a cortina que me
tapa a luz da noite
apago o último suspiro
devagar, tão devagar.

podia ter me amado
na luz do luar
como quem acende
 uma estrela

 fecho os olhos e
apago a luz
longe de mim
cada vez mais perto de ti




3 comentários:

Dilmar Gomes disse...

Lindo, minha amiga. Um abraço daqui do sul do Brasil. Tenhas um lindo fim de semana.

Existe Sempre Um Lugar disse...

Olá.... "devolve-me o desejo" sim...sem duvida, poesia que me encanta, sua poesia, seu gosto é ímpar.
AG

Júllio Machado disse...

O que buscss, nessa busca?
O óbvio, por vezes, demanda sinais mais evidentes...
Na real, cada um sabe de sio

mss como fica os dó - ré - mi - fa - sol e lá?

Bjos.