quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

um desvio no olhar



.
.


 como se não existisse forma lógica, às vezes me arrastando, saio assim de mim, na tentativa de inventar um novo silêncio que se estenda até à música, que será tudo o que levo, ao fechar-me comigo, trancando-me por dentro, elevando-me aos céus, para que saibas que é choro, quando a chuva te refrescar o rosto cansado por tanto que me procuras...
.
.





3 comentários:

UIFPW08 disse...

Gostei da mudança de visual e do poema claro!
morris

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, seu dom poético encanta, quem a procura corre por gosto, quem corre por gosto não cansa. parabéns pelo seu bom gosto e pelo dom poético que marca a diferença.
AG

✿ chica disse...

Sempre lindo aqui,margoh! bjs, chica