quinta-feira, 30 de maio de 2013

Alinhava o verso










(..) o tempo vai cicatrizando as  feridas . e só muito mais tarde soube, pelo voo inquieto dos pássaros e pelos latidos do cão vizinho  que te espreitava, que o teu caminho não estava ainda encontrado, embora parecesses ter chegado quase à tona do labirinto.    a minha mais perfeita medida era o aperto do coração, esvaziado de outros sentires, que outrora apenas batia ao compasso do teu, como se um novo parto nos unisse outra vez e fôssemos só nós a decidir por que luta se morre ou se nasce.  
preferiria que o amor vencesse sempre.






´é uma luta fantasma
vazia, contra nada
não diz a coisa, diz vazio,
nem diz coisas,
é balbucio.´
João Cabral de Melo Neto



10 comentários:

Solange disse...

o amor sempre vence..
nós, nem sempre..

bjs.Sol

Aurora disse...

E quem não gostaria que o amor vencesse, não é?
Beijos.

umsoprononada.blogspot.com.br

Sónia M. disse...

Belo!

Beijos e beijos

JP disse...

O tempo cicatriza e o amor vence sempre.

Duas verdades inalteráveis.

Beijo
(Mudas de capa como quem muda de camisa :))))

Dorli disse...

Oi querida

Embora, às vezes, desacreditamos do amor, com certeza ele existe e é só cultivá-lo com carinho.
Um beijo
Lua Singular

Jaqueline Cristina disse...

Perfeito!

Milene Cristina disse...

O amor até quando é dor, nos traz algo de bom. Abraços!!

Dilmar Gomes disse...

O Sr. Tempo, o médico perfeito!
Um abraço. Tenhas um ótimo fim de semana.

Rovênia disse...

Quem me dera soubesse escrever assim. O amor não vence sempre. Infelizmente, o mundo não é assim. Mas cabe a nós desistir ou resistir. Ou estou na luta até o fim dessa vida! :)

Arnaldo Leles disse...

Muito prazer!
Muito belo o seu espaço!
Agradeço a sua visita.

Devo estar ficando velho, pois achei
a letra de suas postagens muito miudinhas. Mas adorei,
as seleções e o conteúdo fantástico.

Abraço!