quarta-feira, 29 de maio de 2013

No centro de um infinito

.
  (..) os meus dias anoitecem devagar e se aconchegam na escuridão da noite. mas ás vezes, apenas por um momento, a vida pára.    para nesse instante eu poder ser tudo.  sentir tudo. qualquer coisa que tenho em mente pode, de repente, tornar-se real.  talvez me aches estranha, ou nem sempre esteja suficientemente atento para notar o que esta acontecendo comigo. esmiuço: é um intervalo no tempo, suspenso, que se limita a acontecer, não acontecendo.   isento de coordenadas.  flutuante no vazio. onde habitam todas as possibilidades, todas as hipóteses, todas as escolhas.  hoje, num batimento mais descompassado da hora, encontrei-me lá. no centro de um infinito de perspectivas, esperanças e probabilidades.  
é um tempo que gosto de ter.











[anoitecida pelo silêncio....aqui ]

6 comentários:

Elisa T. Campos disse...

Profundo e reflexivo, Margot.

Adoro os seus textos.
Um bom feriado para você.
Bjs.

Sissym disse...

É assim que muitas vezes eu me situo! Num lugar no infinito, flutuando, isenta de coordenadas, apenas observando e pensando.

Beijos

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa noite x bom feriado !
As pequenas palavras fala-se da grandeza ...
bjssssssss

Pedro Coimbra disse...

Aquele tempo que é só NOSSO.
Todos precisamos disso, Margot.
Essencial ao equilíbrio do ser humano.

Jorge Leandro Carneiro disse...

É belo esse momento de um encontro profundo consigo mesmo. No qual se é tudo por ser você mesmo de forma plena.

Rovênia disse...

Que tempo mais precioso. De vez eu quando também chego até ele. E por segundos alcanço a eternidade! Linda imagem! Vou ouvir a música, que é pra ficar mais boba ainda! Beijinhos!