sábado, 28 de setembro de 2013

Marés ignoradas.










com a alma tomada pelo entusiasmo a boca acaba proferindo idéias que seria melhor manter sob o manto da discrição. sozinha, numa mesa na praça de alimentação do shopping  ,divertia-se com a inutilidade das relações. casais que jantavam juntos em mundos diferentes, pessoas com suas parafernálias eletrônicas alheios a qualquer vestígio do real . um momento interessante, pois é ao mesmo tempo de revelação e de ocultamento [interessante e complexo]. com um sorriso irônico de canto de boca concordava com a máxima: antes só do que 


6 comentários:

Cidália Ferreira disse...

Gostei!
desejo bom fim de semana
Beijo

http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

Samuel Balbinot disse...

Boa tarde Margoh.. bem isso mesmo.. as vezes a gente fala demais.. melhor seguir isso
temos dois ouvidos e uma boca.. que é para ouvir mais e falar menos rsrs lindo dia grato pela sua visita bjs

Dorli disse...

Oi Margoh
A maioria das pessoas tem vida fingida, que deve ser terrível.
A vida autêntica você não programa, os detalhes que acontecem com ela, saem naturalmente.
É muito chato ter que ser certinho, nossas atitudes têm que ser naturais.
Um beijo
Lua Singular

✿ chica disse...

Interessante esse olhar, de fora...Legal! bjs praianos,chica

Severa Cabral(escritora) disse...

BOA TARDE MINHA FLOR DE PRIMAVERA !
UM LINDO FINAL DE SEMANA ...
O TEXTO VALE UMA REFLEXÃO !
BJS

Rovênia disse...

"Eu amaria viver por mim mesma."

Flora Groult, Le passé infini.

[Beijos]